Dom Vicente fala aos presbíteros do Brasil

O Bispo diocesano de Jundiaí é também o Bispo Referencial dos Presbíteros do estado de São Paulo. Presente no 16º Encontro Nacional de Presbíteros, que acontece em Aparecida (SP), ele falou, na tarde desta quarta-feira, 20 de abril, aos mais de 500 sacerdotes que participam do encontro. Representando o clero da Diocese de Jundiaí, participam também os padres Carlos José Virillo, Félix Xavier da Silveira e Márcio Felipe de Souza Alves.

Após saudação especial aos presbíteros, Dom Vicente destacou a importância de atender o apelo dos Bispos do Brasil, feito durante a 54ª Assembleia Geral, lembrando o delicado momento político que o país vive. O Bispo também falou da importância dos leigos e leigas para a Igreja.

Dom Vicente também recordou a missão do padre – o “ser presbítero missionário” ao falar do Projeto Missionário Sul 1 Norte 1, um projeto de comunhão e de colaboração com as igrejas na Amazônia.

E, por fim, levou uma palavra de encorajamento a todos os presentes para que não desanimem.

Sacerdotes refletem a missão de evangelizar com alegria

O 16ª Encontro Nacional de Presbíteros começou no dia 19 e segue até o dia 25, reunindo mais de 500 padres diocesanos e religiosos. Nesse tempo, os sacerdotes retomam e aprofundam a caminhada, refletindo, a partir de exposições, debates e grupos de estudo, a vivência do testemunho e a melhor maneira de exercerem o ministério na sociedade atual. Durante o encontro, que acontece no Centro de Eventos Padre Vitor Coelho de Almeida, também será escolhida a nova diretoria da Comissão Nacional dos Presbíteros do Brasil (CNP).

Realizado a cada dois anos, o encontro deste ano traz como tema: Presbíteros no Brasil: alegria no anúncio do Evangelho e o lema “Eis que faço novas todas as coisas” (Ap 21,5). Os estudos contam com a assessoria do frei capuchinho Luiz Carlos Susin.

Outro trabalho organizado durante o encontro é a estruturação pastoral no âmbito presbiteral. Por meio de um subsídio, o CNP quer estruturar as dioceses do país para que desenvolvam um trabalho de melhor organização junto ao clero.

A troca de experiências é um dos pontos altos do ENP. São tantas realidades distintas de dificuldades, como a de padres da região amazônica que viajam por dias em barcos ou a de sacerdotes do Nordeste que sofrem com a falta de água, que se somam e dão vigor aos demais padres para continuarem firmes no exercício do ministério.

Essa é a terceira vez que a Aparecida acolhe o evento.

2016-04-21T15:13:04+00:00